Siga o nosso Instagram

Inscreva-se no nosso canal do YouTube

YouTube-community-captions-feature-endin
Oferta-de-email 297.png
Prancheta 1.png
conte%C3%BAdo_edited.png
Prancheta 2.png

Corte de custos: maximizando os resultados




Também é assim na sua empresa ?

Chega uma hora que você pensa que já investiu tudo que podia [e até o que não podia] mas nada deu certo, não é mesmo?


Contrata um novo software, moderno, online, investe em treinamento, capacita a equipe...


Em poucos dias, está tudo como estava antes e, talvez você tenha percebido [sem querer aceitar] que todo o "investimento" foi em vão.


Mas que não era um sistema de gestão... Meu problema é a minha equipe, você pensa. Certo?


Bom vamos lá... O que acontece a partir daqui?



O vai e vem de pessoas na equipe...


Chega a hora de ver que está desempenhando o seu trabalho e quem não está.


O certo é demitir quem não consegue atingir o objetivo, correto?


A resposta é: talvez! e eu vou te dizer o "porquê".


O que cada empreendedor considera valioso em uma equipe ou um determinado funcionário pode variar de uma cultura pra outra.


Ao contrário do que parece, quando se fala em custos, demitir um funcionário pode ter um custo tão grande quanto não demiti-lo, afinal.


Mas como assim?


Primeiro: em que circunstancias esse funcionário causou a sua demissão? São erros recorrentes? Foi algo onde o mesmo sabia o que estava fazendo e mesmo assim decidiu continuar mesmo sabendo que iria prejudicar a empresa?


Segundo: qual é o valor desse funcionário para a sua empresa? Qual é o tempo em que essa pessoa já trabalha na sua empresa? Qual o nível de confiança que você tem nesse colaborador?


Terceiro: qual é o tamanho do dano causado [se é que houve algum]. É algo irreparável? Houve preparação desse colaborador para a execução do cargo/tarefa designado pra ele?


Quarto: qual o custo de demiti-lo? Encargos trabalhistas como férias acumuladas, décimo terceiro salário, multa rescisória, aviso prévio?


Todos esses são elementos que devem ser considerados se, de fato, houve a possibilidade de demissão de um membro da equipe.


Principalmente pelo quarto ponto! Demitir custa e custa extremamente caro no Brasil.



Segundo o jornal Folha online:

Comparando os custos trabalhistas, descobre-se que o trabalhador formal brasileiro recebe apenas R$ 6 de cada R$ 10 que o empregador desembolsa. Em países mais desenvolvidos, esta proporção gira em torno de 70% e, em nações consideradas emergentes, como o Brasil, chega a 89,3% - caso do México. Com custos menores, a economia ganha em competitividade. Um exemplo limite dado por ele: "Imagina o patrão explicar para o empregado: vou te pagar R$ 5 mil, mas você vai receber R$ 3 mil, e, mesmo assim, uma parte só quando for demitido''.



Olhando os custos de outro angulo.



Altos custos podem ser atribuídos à diversos fatores dentro da empresa. Não apenas à equipe, demissões e encargos trabalhistas como vimos anteriormente um pouco a cima neste artigo.


Até mesmo a forma que você armazena seus produtos, caso este seja o seu caso, e o seu segmento de atuação proporcionam altos custos para sua empresa fazendo com que os seus lucros desçam ralo a baixo!


Desde os seus fornecedores à sacolinha que você entrega seus produtos, nada pode passar despercebido dentro de uma gestão de custos eficiente.


Como todo administrador que se preze, o lema sempre será:


Fazer o máximo possível de lucro com o mínimo possível de despesas.

Mas como fazer isso? Você deve estar pensando neste exato momento...


Existem dois tipos de custos:


- o custo de fazer algo.

- o custo de não fazer algo


Ou seja, todas as vezes que você estiver em um processo decisório tente colocar a situação dentro da seguinte questão...


Qual o custo de fazer x coisa para o meu resultado?


em seguida, refaça a pergunta...


Qual o custo de não faz x coisa para o meu resultado?


Parece algo bobo e irrelevante, mas muito eficiente que pode te ajudar a tomar a melhor decisão sobre o custo de algo dentro do seu negocio..


sabe porque?


Você estará pensando sobre aquela decisão sob o olhar do resultado, e não apenas se a sua empresa [ou você] precisa daquilo ou não.




Nem sempre você conseguirá perceber de onde vem o problema...


Não é novidade que as empresas buscam auxilio de consultores com competência técnica e experiencia em detectar problemas que empreendedores, empresários e pessoas que estão dentro do negócio não conseguem perceber.


Isso acontece porque, comumente, estamos conectados às rotinas da empresa, seja no processo financeiro, organizando contas a pagar e contas a receber, pagando faturas, fornecedores, folhas de pagamento. Ou até mesmo ocupados demais em vender, girar os produtos, e pouco temos tempo de olhar para dentro e enxergar de onde os custos que sugam todo o seu esforço.


Acho que você se identificou muito com essa situação a cima, não é verdade?


A partir de agora você já começa a se questionar... "é exatamente assim que eu me sinto, mas o que tenho que fazer para mudar isso?"


A resposta pode vir de várias formas. Uma delas é começar a acompanhar a gestão do negócio de forma mais minuciosa. Porém, assim você precisará se desligar um pouco mais das atividades das quais você não conseguiria ver outra pessoa fazendo.


Seria necessário delegar um poucos das suas atividades para que possa abrir uma janela de tempo na sua rotina para acompanhar a gestão da empresa.


Outra maneira seria, trazer uma consultoria especializada para identificar possíveis problemas na gestão do negócio.


Trazer um consultor independe, pode ser um grande investimento [ ao invés de uma grande despesa, como muitas pessoas tendem a ver] quando ele consegue identificar a verdadeira causa, o furo no duto que faz jorrar todo o seu petróleo, ou seja, os seus lucros.


Essa alternativa é viável pois o consultor é um profissional que não terá vínculos com a empresa, desconhecendo os principais vícios de processos.


Isso deixa o problema, razão dos seus custos dominarem todo o seu faturamento mais exposto, tornando uma alvo quase impossível de ser notado pelo profissional que será responsável por investigar a causa desses problemas.






Quais os critérios para a contratação de um consultor?


... Como é que eu vou abrir as portas da minha empresa para uma pessoa que eu nem conheço?


... Como assim, vou dar todos as informações da minha empresa para uma pessoa?


... Será que vale a pena gastar esse dinheiro? E se não der resultado?


Essas são perguntas que, se você não está fazendo agora, certamente já pensou em fazer...


1 - busque referências


Procure por empresas que já estiveram com o consultor que deseja trazer para o seu negócio. Todo profissional que se preze, busca ter as melhores referencias possíveis.


Sendo assim, não economize seu tempo ao conversar com pessoas que já foram clientes da empresa ou consultor que você deseja trazer para o seu negócio.


2 - Barato? Nada realmente bom e eficiente é barato!


Contratar um consultor pelo preço pode ser complexo. Quando o assunto é a saúde, por exemplo, ninguém quer ser cuidado por um medico ruim, inexperiente ou que tem má reputação.


Os melhores profissionais tem honorários caros. O seu próprio trabalho os credenciam para isso.


Contratar um "profissional" barato apenas para ter dito que "contratou um profissional e não resolveu nada" não vai adiantar.


3 - Intersse no resultado da empresa e não apenas no seu próprio lucro


Bons consultores são profissionais que não medem esforços para atingir os resultados propostos pelo cliente.


Ter um profissional deste nível quer dizer que ele vai honra com a promessa e vai ajudar o seu negocio a atingir o nível desejável.


Claro que os honorários pagos por você tem importância, mas é apenas uma consequência e não significa que é apenas o único objetivo do consultor.



Nunca esqueça de separar custos e despesas...


Mas custo e despesa não é a mesma coisa?


Vamos ao principio básico da relação entre custos e despesas.


custo é tudo aquilo do qual se investe para resultar na receita gerada pela empresa.


ou seja:


Mao de obra

matéria prima

maquinaria

água, energia elétrica, internet (em alguns casos).


já a despesa é tudo aquilo usado na gestão do negócio.


aluguel de escritório

comissões de vendas

taxas, juros e encargos financeiros



Lembre-se


Olhar para dentro de seu negócio é extremamente importante. Nunca deposite a saúde da sua empresa na concorrência. Eles determinam outro fatores, mas não necessariamente o quanto a sua empresa pode estar bem financeiramente do ponto de vista da relação de custos e despesas.


Trazer um bom profissional pode adicionar um olhar ao qual você ainda não tenha percebido. Irá corrigir o problema e trazer mais segurança e valor para o seu negócio.


Gostaria de ver algum tema ser abordado aqui no nosso blog? Mande-nos sugestões para produção de conteúdos aqui no nosso blog.


Um abraço e até a próxima!


Marcus,


#Eficiênciafinanceira #Retorno #Cortedecustos

36 visualizações0 comentário